Monday, September 25, 2017

Tecnologia

 

SAIBA UM POUCO SOBRE O REVOLUCIONÁRIO SISTEMA DE MONITORAMENTO IP

Migrando para o Vídeo IP com o Dr.Oliver Vellacott, chefe executivo da IndigoVision, descreve como o investimento em 
sistemas CCTV já existentes pode ser protegido quando da migração para uma solução de Vídeo IP.

O Mercado de Vídeo IP está crescendo rapidamente, tendo sido aceito como uma tecnologia madura com experiência de campo comprovada. A Rede IP de CCTV, o controle de acesso e o alarme de invasores vão eventualmente dominar a maioria do mercado – existem muitas vantagens no custo e na performance para que isso não aconteça. Mas o que isto significa para os sistemas já instalados?

Como uma empresa pode tirar vantagem total desta tecnologia emergente sem desperdiçar o investimento feito nos sistemas herdados? 

Este artigo propõe clarificar algumas dessas questões, mas antes de mais nada é importante entender os benefícios dos sistemas de Vídeo IP. Tecnologia de Vídeo IP As vantagens do Vídeo IP podem ser acentuadas se olharmos as desvantagens do CCTV analógico. Os sistemas de vídeo com base tradicionais cabos coaxiais ou de fibra são limitados de várias maneiras.

Os custos de instalação em grandes áreas são proibitivos e o número de estações de monitoramento é limitado devido ao alto investimento necessário para reproduzir uma infra-estrutura de mudança.

A Imagesec traz para o Brasil o revolucionário sistema de monitoramento IP da Indigo Vision

A matriz analógica é o componente que fornece à sala de controle flexibilidade para os sistemas de CCTV analógicos, mas ela também não pode ser facilmente ampliada sem a adição de novo hardware e a sua localização é dependente.

Portanto, a escalabilidade geral é limitada. Mesmo que a introdução dos DVRs tenha melhorado a capacidade de gravação do CCTV analógico, eles também são limitados. Eles têm que ser instalados fisicamente perto da matriz analógica e tanto a taxa de quadro quanto a qualidade da imagem são frequentemente afetados.

As empresas querem uma solução única, escalonável e integrada que fornece vigilância em vídeo de alta qualidade através de qualquer número de escritórios ou áreas – e é isto o que o Vídeo IP fornece.

Com a solução baseada no IP, não é preciso se preocupar com o fato de que qualquer expansão futura atingirá a capacidade máxima do hardware instalado, uma vez que dispositivos adicionais tais como câmeras, estações de monitoramento e gravadores de vídeo poderão ser incorporados a qualquer ponto da rede a qualquer tempo.

Os sistemas de Vídeo IP mais recentes usam tecnologias de compressão avançadas que permitem qualidade de DVD de Vídeo digital, com baixa latência que é indistinguível do vídeo analógico tradicional. 

A extensão na qual uma empresa pode querer mudar para o Vídeo IP vai depender da aplicação, mas isto ocorre tipicamente quando câmeras adicionais, estações de monitoramento ou capacidade de gravação são exigidos para o sistema já existente, ou quando o número de sistemas em diferentes áreas estão para ser unidos. 

Planejando a Migração É importante envolver o departamento de IT (Tecnologia da Informação) no estágio inicial do processo de planejamento.

Competentes produtos de Vídeo IP agora enfatizam muito da funcionalidade com que os profissionais de IT vão estar familiarizados, tais como o SNMP (Simple NetworK Management Protocol – Protocolo de Gerenciamento de Rede Simples) com a finalidade de gerenciamento, firewalls integrais, cobertura bitrate e programas de diagnóstico.

Tudo isso assegura que o time de IT possa manter controle total sobre o tráfego de rede gerado e monitorar a performance do sistema, bem como simplificar a resolução de problemas caso dificuldades apareçam. 

Uma migração adequadamente planejada é melhor se iniciada em fases. Estas podem ser contínuas ou de acordo com a demanda e o orçamento, permitindo assim que cada fase possa ser "testada" antes do início da próxima. 

Isto tem o beneficio adicional de manutenção dos equipamentos mais velhos e completa utilização dos mesmos até que a manutenção se torne muito cara ou então pouco prática. 

O processo de migração pode ser retardado ou interrompido em qualquer ponto e o sistema continua com uma estrutura híbrida.

Vamos pegar um exemplo hipotético. Um sistema em uma área tem um conjunto de 150 câmeras mistas, estática e PTZ. O sistema tem um OCC (Centro de Controle Operacional) com dois operadores e é equipado convencionalmente com um hardware de matriz de mudança com os Gravadores de  Vídeo Digital (DVRs-Digital Vídeo Recorders) com gravação contínua em todas as câmeras.

O sistema precisa ser ampliado, e os requerimentos a seguir foram preparados:

• 50 câmeras precisam ser adicionadas ao sistema existente

• um ponto de monitoramento no OCC precisa ser instalado para mais um operador

• dois gerentes da organização querem ter acesso ao conteúdo ao vivo de determinadas câmeras em suas mesas.

• algumas medidas de segurança adicionais precisam ser instaladas no estacionamento a 500m de distância.

A área tem um LAN (Local Área Network - Área de Rede Local) corporativo já existente.

O orçamento disponível não permite ao usuário desfazer do sistema existente, então qualquer economia que pode ser feita será importante. O projeto hipotético será dividido em três fases.

Fase 1: Área Principal

Por causa das limitações de orçamento da matriz existente, as estações de operadores e os DVRs serão mantidos. Economias serão feitas na conexão de novas câmeras no sistema usando o LAN existente ao invés da instalação dos cabos co-axial e PTZ que vão da matriz até o local de cada câmera.

O uso dos Transmissores IP (codificadores) permitirá uma liberdade total na escolha da câmera. Qualquer câmera convencional de qualquer fabricante em qualquer lugar terá um bom desempenho. As câmeras adicionais serão conectadas no LAN através de um transmissor, e os Recebedores IP (decodificadores) correspondentes para cada câmera serão conectados às entradas não utilizadas da matriz no OCC.

Video Servers - Áudio Bidirecional, Vídeo, sensores e relés integrados
NVR - Network Video Recorder - Poderoso Hardware para Gravação de Imagens e Relés
Uma solução NVR típica requer simplesmente uma plataforma com microcomputador e capacidade de armazenamento do disco rígido. Entretanto, para falhas mais sérias, abrangentes aplicações NVRs podem ser acondicionadas em unidades externas com discos rígidos removíveis.

As saídas da matriz serão conectadas a futuros transmissores IP colocando o alimentador de vídeo OCC existente no LAN. Os microcomputadores com software de monitoramento para o operador adicional no OCC e para os micros dos dois gerentes serão adicionados. O sistema será configurado para restringir o acesso, assegurando que os gerentes só terão acesso às câmeras que eles estão autorizados a ver.

As câmeras adicionais precisarão uma ampliação da capacidade de gravação. Os Gravadores de Vídeo de Rede (Networked Vídeo Recorders – NVRs) serão adicionados à rede para cumprir esse requerimento.

Desde que esse elemento, como todos os outros em uma solução IP, é totalmente escalável, ele livra o usuário das limitações de uma simples expansão dos DVRs existentes. O uso de NVRs dá ao usuário acesso ao vídeo gravado de qualquer lugar da rede.

Fase 2: Estacionamento

Câmeras IP, pontos de apoio com telefones de emergência, controles de luz e uma barreira com unidade de fala para os visitantes serão instalados fornecendo medidas de segurança adicionais ao estacionamento. Adicionalmente, o controle de acesso para os empregados será introduzido, sendo capaz de ser operado remotamente ou ignorado no OCC. Para economizar em custos de cabos e ter trânsito livre, uma pequena rede sem fio com pelo menos 5.8GHz será utilizada para a conexão de todos esses dispositivos do edifício central até o tamanho do LAN. Todos os dispositivos e funcionalidade serão controlados do OCC e do mesmo software de microcomputador usado para o monitoramento.

Fase 3: Solução IP Completa

Até aqui, o projeto tem feito uso total dos equipamentos de CCTV originais, mas quando os orçamentos se tornam disponíveis, a migração para um sistema IP completo pode ocorrer. Isto é justificado uma vez que a manutenção da matriz se torna mais problemática com a idade, a capacidade de gravação dos DVRs se torna cada vez mais inadequada e o usuário vê os diversos benefícios operacionais no desenvolvimento do sistema de Vídeo IP.

O hardware da matriz original agora será removido, com o LAN e o software de monitoramento se tornando a chamada matriz virtual. Um transmissor IP será instalado a cada uma das câmeras originais tornando-as compatíveis com o IP. Quando as câmeras já estiverem com fiação de volta ao ponto comum no OCC central, transmissores IP de estante (rack) serão usados, resultando em uma economia típica de 10 a 15% sobre as unidades autônomas. Os transmissores e Receptores IP conectados diretamente à matriz serão reutilizados para conectar algumas das câmeras analógicas na rede.

O sistema IP absorve a estrutura analógica com grande facilidade

Resumo

Este exemplo mostra como é fácil migrar de um sistema analógico existente para uma solução IP. Mesmo sendo este um exemplo hipotético, é característico de muitas aplicações. Por exemplo, o Aeroporto de London Luton teve sua migração para um sistema IP puro em fases, através de várias combinações híbridas durante o período de três anos. O Vídeo IP é obviamente apto para aplicações críticas e de grande porte, como nos dois últimos Jogos Olímpicos, mas sistemas menores também podem se beneficiar. A natureza progressiva da migração permite que as limitações de orçamento existentes sejam ajustadas e permitem que cada fase do projeto seja testada do início ao fim. Isto traz ao usuário a confiança de que a segurança com base no IP irá cumprir os requerimentos do projeto.

Os custos gerais são mantidos ao mínimo porque partes significantes da infra-estrutura de CCTV existente são reutilizadas e futuras expansões podem ser facilmente adicionadas com um custo baixo.

Sobre o Autor

CEO da Indigo Vision

Oliver Vellacott fundou a IndigoVision em 1994. Antes disso ele trabalhava como gerente de produto com experiência em produtos de câmeras inteligentes. Oliver estudou piano na Escola de Musica Guildahall antes de se formar em Engenharia de Sistema no Imperial College London, e fazer seu doutorado - PhD em Engenharia Elétrica, na Universidade de Edimburgo.

Dr. Oliver Vellacott, chefe executivo (CEO)

IndigoVision Group plc,

The Edinburgh Technopole, Bush Loan